Igreja Batista Arceônica

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Igreja Batista Arceônica

Mensagem por Selene em Dom Fev 01, 2015 1:41 pm


Igreja Batista de Arceus


"Porque Arceus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, Mew, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna." - Jirachi 3:16

Arceus


"Alpha" é a primeira letra do alfabeto grego clássico. E a segunda sendo "beta", já podemos entender melhor a palavra "alfabeto". Com a última letra sendo "omega", alpha frequentemente representa "o início" e omega "o fim". No cristianismo, Cristo é conhecido como "o alpha e o omega" (o início e o fim) com base em alguns escritos antigos. Isso firma o cristianismo como uma religião monoteísta, pois Cristo é "tudo" e a trindade, ainda é "uma". Já no hinduísmo, o trimúrti funciona diferente: Brahma é conhecido como "o criador", enquanto Vishnu é conhecido como "o preservador" e Shiva como "o destruidor". Nesse exemplo podemos conectá-los a início, meio e fim ou passado, presente e futuro.

Arceus é categorizado como "o Pokémon alpha". Assim sendo, ele é o início, o criador, o começo, o passado dos Pokémon. Nesse contexto, podemos esperar que a mitologia dos Pokémon esteja seguindo pelo conceito hinduísta da criação e não da crença cristã. Logo, se existe um criador, devemos conhecer um preservador e um destruidor, ou melhor descrito, seu omega.

De acordo com a lenda, Arceus surgiu de um ovo em meio ao "nada". Entenda-se "nada" por vazio, uma situação pré-existencial, onde nem mesmo o universo existia ainda. Assim sendo, Arceus deu forma ao que hoje é o mundo Pokémon, o universo e outras formas de vida. Com 3,2m de altura e pesando 320kg, muito sobre Arceus ainda é desconhecido. Ele possui uma habilidade curiosa, que permite que ele mude seu tipo de acordo com um certo item equipado a ele. E, diferente de muitos Pokémon, seu nome continua o mesmo em diversos idiomas e o descreve muito bem, sendo "eus" visto em nomes já conhecidos por nós como Deus e Zeus e "arc" que é explicado em sua própria aparência. Mas em outra ocasião podemos falar mais sobre o sentido religioso de "arc" que conota origem, início.

Mew


Código biológico

Saindo um pouco de religião e vindo para ciência, vamos falar sobre DNA. Se você é um expert, um dos melhores alunos da classe, pode pular essa parte. Mas se você não prestou atenção direito nessa parte das aulas de ciência, é melhor investir algum tempo aqui. Basicamente, DNA é uma abreviação de "deoxyribonucleic acid" (ácido desoxirribonucleico) e contêm instruções genéticas que são responsáveis por traços e características de seres vivos. De certo que um ser vivo pode "evoluir" com o passar de eras justamente para se adaptar às novas necessidades. Aqueles insetos que conseguem se camuflar melhor, sobrevivem e passam suas características para frente. Aqueles animais que podem correr mais rápido por terem pernas melhores, sobrevivem e passam isso adiante. Muitos animais mudam completamente ao ponto de "se tornarem outros" completamente diferentes de seus antepassados, devido à diversa quantidade de modificações em seu processo evolutivo. Essa linha de raciocínio não é muito complexa, certo? Claro, há uma explicação muito mais profunda e elaborada sobre DNA e cadeia evolutiva, mas essa não é uma aula de ciências. Tendo uma noção sobre trindade e DNA, estamos prontos para abordar o tema de hoje.


Força-tarefa interdimensional

Ei, vocês já jogaram Patapon?
Vamos começar pelos Unown. Catalogado na National Dex como número 201, altura de 0.5m, pesando 5kg.  Discretamente, esse foi o primeiro Pokémon a ter "formas alternativas". Suas 28 derivações lembram o antigo símbolo de proteção egípcio, "Eye of Horus". Os Unown se comunicam por ondas eletromagnéticas, como sinais de rádios (e que podem ser ouvidas pela PokéGear). O seu som reproduzido tem a mesma base da melodia da "Azure Flute" (falamos dela semana passada, não?) e isso não é coincidência.

No mundo Pokémon, estamos cientes de que diversos alfabetos usados pela humanidade em diversas épocas diferentes tiveram os Unown como inspiração. É evidente que eles estão conosco desde o início. Há uma outra dimensão (da qual falaremos mais no tópico sobre Giratina) pela qual os Unown podem intercalar com nossa dimensão atual. Isso pode ser visto não apenas no terceiro filme da franquia ("O Imperador da Torre de Cristal", no Brasil) como em diversas ocasiões em que eles têm alguma participação. Como a origem de seu nome sugere (unknown), muito sobre esse mostrinho ainda é desconhecido, além de estarmos cientes que ele tem um papel essencial na regerência dos guardiões que cuidam das criações de Arceus.


Mensageiro interdimensional


Terceiro olho
Sendo menor que Unown (0.3m) e tendo na Hoenn Dex o mesmo número que ele na National Dex, Jirachi é o Pokémon mais leve do tipo metal, pesando apenas 1.1kg. Dentre tantas religiões e culturas, ocidentais ou orientais, o conceito de "fé" está presente. E para que um deus exista, deve haver fé. Com esse propósito, Arceus criou Jirachi, sendo o Pokémon responsável por alimentar o coração da humanidade com esperança. Jirachi costuma dormir por mil anos e ficar acordado por um período de aproximadamente sete dias, por fim retornando a hibernar. O terceiro olho em sua barriga é responsável por adquirir energia para mantê-lo vivo enquanto dorme por tanto tempo. Ao acordar, Jirachi pode realizar um desejo que esteja escrito em suas "fitinhas" no topo da cabeça. Jirachi pode ser acordado por uma canção de puro coração e realizar o desejo de quem o acordou. Apesar da lenda, relatos de treinadores que tenham encontrado Jirachi durante seu profundo sono são desconhecidos (o loser de Pallet não conta), logo, acredita-se que ele se resguarde na outra dimensão, até mesmo pela maneira que surge cruzando o céu a cada mil anos.

O Grande Antecessor
Apesar de ser o último Pokémon catalogado na Kanto Dex, "Mew" foi o primeiro nome registrado pela Game Freak para os monstrinhos de bolso, em 31 de Março de 1994, quase quatro anos antes do nome "Pocket Monsters" ser registrado, em 26 de Dezembro de 1997. Um fato curioso é que para ler a tão esperada "Congrats! This diploma certifies that you have completed your Pokédex" dos desenvolvedores do game nas primeiras versões, não é necessário ter Mew em sua coleção. Apesar da recente (ou nem tão recente assim) descoberta de como capturá-lo nas versões antigas, o máximo que temos é um reconhecimento de Professor Oak por ter obtido o Pokémon, mas nenhum item especial ou uma "segunda Master Ball" como mitos diziam pouco mais de 10 anos atrás. Podemos chamá-lo de um "Pokémon secreto", como aquele personagem secreto do game de luta, que você precisava fazer algum código para torná-lo jogável.

Mew, Jirachi, Unown, Dialga, Palkia, Giratina, Kyogre, Groudon, Rayquaza, Lugia, Ho-oh, Azelf, Mesprit, Uxie, Cresselia, Darkrai, Tornadus, Thundurus e Landorus foram criados diretamente por Arceus. Já as aves lendárias (Articuno, Zapdos e Moltres), as bestas (Entei, Raikou e Suicune) e o golem (Regigigas) foram criados por Lugia, Ho-oh e pela trindade responsável pelo clima (Kyogre, Groundon e Rayquaza), respectivamente. Exceto por esses citados, todos os outros Pokémon que conhecemos atualmente tem Mew como origem. Dessa maneira, por esse "elo de DNA", Mew tem uma incrível versatilidade para quantidade de golpes que pode aprender e se transformar em qualquer Pokémon.

Cenário cultural
Da mesma forma que funciona com os animais, também funciona como certa sociedade interpreta as divindades. Hinduísmo, cristianismo, budismo, já falamos um pouco sobre eles na primeira parte. Não deve haver dúvidas de que diferentes sociedades, diferentes países e continentes podem ter diferentes crenças sobre seus deuses ou até mesmo ter deuses diferentes. Em diversos países (não todos) há uma liberdade religiosa em que as pessoas podem acreditar em qual deus desejarem. Isso não torna crenças mundialmente aceitas, e muitos países podem não conhecer nada sobre o contexto religioso de outra cultura.

Assim sendo, podemos notar que a cultura sobre Arceus ser o criador do universo é muito forte em Sinnoh, mas praticamente não citada em Unova, que mesmo sendo o game seguinte da franquia (no qual o Pokémon já havia sido introduzido na história) é geograficamente distante e com um contexto cultural deveras distinto. Em contrapartida, Tornadus, Thundurus e Landorus estão bem enraizados na cultura de Unova. Assim como Arceus, esses três Pokémon são "divindades" e falaremos mais sobre eles hoje. Mas antes disso, vamos começar pelos primeiros Pokémon criados por Arceus após o universo.


O trio da criação
Porygon é um Pokémon "virtual" criado para propósitos de pesquisa. Sua última evolução, Porygon-Z, foi programado para explorar outras dimensões. E é sobre essas dimensões que falaremos brevemente agora. O "Mundo Temporal" (ou Temporal World) é o lar de Dialga, o Pokémon que representa o tempo. O "Mundo Espacial" (ou Spatial World) é o lar de Palkia, o Pokémon que representa o espaço. O "Mundo Reverso" (ou Distortion World) é o lar de Giratina, o Pokémon que representa a antimatéria. Arceus também tem sua própria dimensão. A dimensão mais conhecida por nós (além da nossa, claro) é o "Mundo Alternativo" que não é o mundo dos hipsters, mas sim dos Unowns. Em oposto, há outra dimensão pouco conhecida que é o "Mundo Fantasma", citado apenas nos dados de Dusknoir na PokeDex e no nome de seu item evolutivo na versão japonesa.

Sabemos que nossa dimensão é um reflexo dessas dimensões. Temos o tempo, o espaço e a ordem regida pela física, o que é o oposto do mundo reverso. O lar de Giratina anula qualquer conhecimento que tenhamos sobre as leis da física, dando sentido ao seu nome. Os mitos da criação que conhecemos em Sinnoh tem algumas semelhanças com os mitos de Izanami e Izanagi que vocês já devem ter ouvido falar em outras obras como Naruto, Yugioh, Persona ou Mai-Hime. O que é bem natural, vindo de um game japonês.

A triforce do mundo Pokémon
Conhecidos como "UMA trio" (unidentified mysterious animal, e "coincidentemente" as iniciais de seus nomes na ordem que aparecem na PokéDex), Uxie, Mesprit e Azelf representam conhecimento, emoção e determinação, respectivamente. Eles são baseados em outra lenda oriental, dessa vez Yata no Kagami (Uxie), Yasakani no Magatama (Mesprit) e Kusanagi (Azelf). Seus nomes são baseados em criaturas fantasticas (pixie, spirit, elf) e tem uma brincadeira fonética em seus nomes com "you, me, us". Além dessa brincadeira com nomes (como um certo trio que vive voando por aí), esses três também foram criados por Arceus (nascidos do mesmo ovo) e tem um papel semelhante ao de Jirachi em motivar pessoas. O equilíbrio (trindade, equilíbrio) entre conhecimento, emoção e determinação é fundamental para o ser humano e não precisamos ir muito longe para entender isso.


A respeito de Uxie, que sempre está de olhos fechados, é dito que aquele que olhar em seus olhos terá todas as memórias apagadas. Em algumas culturas, os olhos são conhecidos como a janela da alma, por onde temos o conhecimento. Receber "todo o conhecimento" por Uxie está além do potencial humano. E mais uma vez, essas referências estão presentes em outros games e animes que conhecemos como o portão de Full Metal Alchemist que concede ao alquimista que alcançá-lo "todo o conhecimento" possibilitando utilizar alquimia com habilidade excepcional. Ou sobre olhos restringirem o poder, temos Shaka de Virgem (Virgo no Shaka, no original) em Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya) ou Zaraki Kenpachi em Bleach. As referências culturais estão enraizadas em nossa mídia popular, e nessa linha já devem ter percebido que Jirachi não é o único personagem na mídia com um terceiro olho.


Entre sonhos e pesadelos

Assim como trindade apresenta equilíbro, dualidade apresenta oposição. Felizmente, já falamos sobre isso na primeira parte e isso nos poupará algum tempo hoje. Até mesmo em algumas das várias tradições indígenas de nosso país, havia cultos relacionados à lua e seu reflexo em lagos. Bem, o trio apresentado anteriormente (também conhecido como "guardiões do lago"), tem as três cores básicas de Cresselia como suas características mais fortes. Cresselia, com corpo semelhante a um cisne combinado com as três das quatro fases da lua, pode ser encontrada em "Fullmoon Island". O oposto de seu par, Darkrai, que pode ser encontrado em "Newmoon Island". A lenda diz que Darkrai costuma aparecer em noites de lua nova e induzir pessoas ao sono seguido de um terrível pesadelo. O oposto de Cresselia, que concede sonhos agradáveis às pessoas.

Ambos também criados por Arceus e frequentemente questionados por "por qual razão o deus criou algo ruim?" que é uma pergunta bem frequente em nossa realidade também. O conceito de oposição não é sempre "bom e ruim", mas humanos não podem reconhecer o bom sem ter provado do ruim. Temos então Adão e Eva, que não podiam reconhecer o "amargo" sem antes terem passado pelo Éden, onde existiam apenas opostos de tristeza, dor e sofrimento. Logo, não podemos reconhecer sonhos como sonhos se não conhecemos pesadelos e o inverso também se aplica. Não podemos entender que estamos felizes se não sabemos como é estar triste.

Raios e trovões!
Saindo de Sinnoh para ir até a distante Unova, encontramos a crença em três deuses. Diferente dos guardiões dos lagos (vamos chamá-los assim mesmo, produção?) e dos opostos da lua, esses três são realmente divindades (com direito a religião, seguidores e tudo mais). Tornadus é baseado em Fujin, deus do vento. Thundurus é baseado em Raijin, deus dos trovões e Landorus é baseado em Inari, deus da fertilidade. Há diversas referências a esses deuses em games, filmes, animes e mangás. Desde Mortal Kombat a Final Fantasy, desde One Piece a Naruto. Então, já estamos bem acostumados com eles, mesmo sem perceber. É mais comum vermos referências ao deus do vento e o deus dos trovões lutando entre si e, em algumas histórias, a intervenção do deus da fertilidade. Um exemplo claro para quem conhece a história da série Naruto, é o próprio Naruto (usuário de Fuuton, elemento vento) em conflitos com Sasuke (usuário de Raiton, elemento raio) sendo encerrados pelo turor, Hatake Kakashi (usuário de Doton, elemento terra).

Os super anciões

Nos mitos de Hoenn, há três Pokémon que são baseados em monstros bíblicos. Kyogre é baseado no Leviatã, Groudon em Behemoth e Rayquaza em Ziz. Kyogre é responsável pelos oceanos e pode expandi-los com sua habilidade de criar fortes chuvas. Em contrapartida, Groudon é responsável pelos continentes (solo, vulcões, montanhas). Aparentemente, um "grande diluvio" aconteceu no mundo Pokémon muito tempo atrás como consequência de uma luta entre esses dois ... monstros. Rayquaza é o responsável por pará-los e sua habilidade especial apresenta isso claramente, anulando os efeitos climáticos de Groudon e Kyogre. É dito que Rayquaza vive acima das nuvens, pela camada de ozônio, se alimentando de água na atmosfera (isso é possível?) e desce apenas para deter o combate dos outros dois Pokémon. Em histórias dos habitantes de Hoenn, é dito que Rayquaza é tão grande que pode se enrolar na torre em que é encontrado. Entretanto, Rayquaza tem apenas 7m de altura. Fofocas sempre aumentam.


Colisão céu e mar

Não há dúvidas de que Lugia e Ho-oh estão entre as mais populares divindades dos games de Pokémon. Há pouco mais de um século antes da história de Gold/Silver e HeartGold/SoulSilver, um "acidente" fez as chamas da rivalidade desses dois arder. Na cidade de Ecruteak, em Johto, haviam duas torres, a torre do sino e a torre de bronze. Na primeira, habitava Ho-oh; na segunda, Lugia. Lugia representava a lua, o mar e as tempestades. Ho-oh representava o sol, o céu e o arco-íris. Ambos sendo completamente opostos, apesar de serem residentes da mesma cidade, eram tratados como divindades pelos habitantes por conta de suas incríveis habilidades. Certo dia, a torre em que Lugia residia foi misteriosamente queimada ocasionando muitas vitimas. Lugia fugiu do incidente por motivos desconhecidos, causando a fúria dos sobreviventes e, claro, de Ho-Oh. Ho-Oh voltou ao local e ressuscitou três Pokémon falecidos, que receberam a alcunha de "três bestas" por partirem a correr insamente por todo o continente desde aquele momento como uma maneira de expressar sua alegria por estarem vivos.

Divergências entre culturas


Devido aos nossos colonizadores, o continente americano tem como grande parte de seus habitantes, cristãos. Isso vem desde a época da colonização, que junto com seus equipamentos, alimentos e diversos recursos, também trouxeram parte de sua cultura, incluindo as crenças religiosas. Entretanto, é conhecido por muitos o fato de que o cristianismo não é a única religião no mundo. Há continentes em que o cristianismo é muito fraco, com um pequeno número de fieis. E nessas culturas, ainda tentando se religar a um "deus", as pessoas têm religiões diferentes, onde algumas vezes podem chegar em algo próximo do cristianismo no conceito de um ser com poderes acima do comum e que protegerá a humanidade.

Evidentemente, o mesmo ocorre no mundo de nossos amados monstrinhos. Tanto Lugia (Johto) quanto Kyogre (Hoenn) são conhecidos como "o guardião dos mares". O que chega a ser curioso no caso de Lugia, estando cientes de que Lugia não é do tipo água e até chega a ser do tipo voador (um oposto do oceano). Essa é apenas um dentre outros exemplos que podemos encontrar no mundo Pokémon, mas percebam que nunca, no mesmo continente, dois Pokémon retem o mesmo "título". Significa que Kyogre é guardião dos oceanos de Hoenn? Não, não exatamente. Para os habitantes de Hoenn, em suas crenças, Kyogre é, mas a lenda dele não é tão conhecida em Johto. Assim sendo, há quem acredite que Cristo é o messias, enquanto há outros que acreditam que o messias ainda não veio à terra. Há quem acredite que Joseph Smith viu Deus, há quem acredite que Maomé viu o arcanjo Gabriel. Um fato é que ambos Pokémon receberam esse título de acordo com suas habilidades.

O que é um Pokémon "lendário"?


Há uma média padrão de atributos que aqueles chamamos de "lendários" costumam ter. Em razão disso, é natural que haja uma certa confusão sobre quem é ou não um Pokémon lendário. Outro aspecto é ser um Pokémon único no jogo e com um avatar para interação. Entretanto, em ambos os casos, não são apenas lendários que se enquadram nisso. Por questão de atributos, Arcanine poderia ser facilmente confundido com um já que é superior às aves lendárias na primeira geração nesse quesito. Por questão de interação, temos Snorlaxes. Não obstante, é evidente que, pelo contexto do game, tanto Snorlax, quanto Arcanine, são considerados raros. Mas ser raro não é ser lendário.
"A imortalidade é uma espécie de vida que nós adquirimos na memória dos homens" são palavras do filósofo e escritor francês século XVIII, Denis Diderot. Podemos aprender por meio de aulas de história e filmes, que ainda hoje temos "lendas" de homens que fizeram grandes feitos no passado e de certo modo se tornaram "imortais". Esse sim é o verdadeiro conceito por trás de um Pokémon lendário. Ainda assim, vamos dividi-los em três categorias: as "divindades" que são responsáveis pela manutenção do universo, as "lendas" que são frutos dessas divindades e os "incomuns" que são aqueles Pokémon que possuem atributos acima dos Pokémon comuns, talvez até um avatar interativo no contexto do game, mas não fazem parte do processo da criação ou manutenção universal. Nesse último caso, temos Mewtwo e Deoxys, por exemplo.

Junto do trio de espadachins (um trio formado por quarto, ok), esses Pokémon não serão abordados hoje, para não confundir vocês, queridos leitores. Em contrapartida, ganharão matérias exclusivas e mais detalhadas (e convenhamos, Mewtwo e Deoxys merecem), tal como aqueles baseados em lendas, mesmo não sendo, como Arcanine e Gyarados.

Os golens

Baseados nos golens das lendas hebraicas, eis que vos apresento "os regis", os golens lendários. É desconhecida ao certo a origem de Regigigas, o regente do trio de golens que conhecemos em Hoenn. Encontrado em local desconhecido por boa parte da humanidade, isolado da civilização, é bem condizente com o fato de representar a "Era Mesozóica" separada de nossa civilização por milhões de anos. Na lenda hebraica, os golens possuem escritos em suas cabeças e quando esses escritos são apagados, eles tornam-se fracos. Uma semelhança que encontramos nos regis, por ter escritos em braile em suas cabeças, uma simbologia com visão/luz e conhecimento ancestral. Após ser acordado de seu profundo sono (de aparentemente milhões de anos), Regigigas tem certa dificuldade para se readaptar ao cenário atual, mas é conhecido que sua força é superior aos níveis conhecidos atualmente, outra característica compartilhada com os golens da lenda hebraica. Ou ao menos, é isso que as lendas dizem, já que Regigigas é conhecido por ter organizado os continentes como conhecemos hoje.

Antes de adormecer (ou melhor, "ser selado"), Regigigas criou Regirock a partir do barro, Regice a partir do gelo, e Registeel a partir do magma, e foi adorado por eles como seu criador. Tal como Regigigas, os três regis também são referências à três importantes eras que conhecemos: a idade da pedra, a idade do gelo (ou era do gelo, era glacial) e idade do ferro, e também foram selados na antiguidade (e bem distante de seu criador, Regigigas). A primeira parte de seus nomes, regis, vem do latim que significa "rei, realeza, nobre". No caso de Regigigas, o "gigas" é de origem grega e significa "gigante". Regirock possui a habilidade de mesclar pedras próximas ao seu corpo, caso sofra algum dano. Regice possui a habilidade de controlar o ar frio ao seu redor, que pode chegar a 200º C negativos. Registeel, por sua vez, é composto por uma substância desconhecida pelos estudos humanos e que é categorizada como mais resistente que qualquer metal conhecido. O fato mais curioso sobre os regis é que cientistas ainda não encontraram seus cérebros e corações, sendo um mistério a maneira como se mantêm vivos.

As miragens aladas


As três aves lendárias foram os primeiros lendários que conhecemos na história de Pokémon. Residentes na região de Kanto, em três extremos da região, eles são responsáveis pela manutenção do oceano e do clima. Não vamos falar sobre ciclo hidrológico hoje, mas resumidamente a água do oceano evapora devido ao calor (Moltres) e é acumulada em nuvens (Articuno) até sobrecarregarem e voltarem ao solo (Zapdos) repetindo o ciclo. Por esse ângulo, é injusto chamar Lugia de "senhor das tempestades" sendo que o trabalho é basicamente feito por esses três. Muitos já devem ter percebido até por sua ordem na pokedex que eles carregam números em seus nomes (um, dois, três em espanhol), assim como aquela cadeia evolutiva de dragões que conhecemos em Unova: Deino ("ein" significa "um" em alemão), Zweilous ("zwei" significa "dois" em alemão) e Hydreigon ("drei" significa "três" em alemão).


As três feras


Certo, não vamos ficar com gatos lendários, cães lendários ou bestas lendárias. Esse último sendo o mais adequado, pois os três foram baseados nas três bestas da selva, o tigre, o leão e o leopardo. Ah, mas eles não se parecem exatamente com essas três criaturas? Em especial Suicune, certo? Sim, pois também são baseados em criaturas mitológicas como Raijuu do Japão e Qilin da China. Tendo Suicune características em comum com Qilin (como andar sob água) apesar de terem aparências muito distantes. Para infelicidade de alguns (ou muitos?), as lendas desses Pokémon são melhor detalhadas na franquia spin-off Pokémon Ranger. Uma curiosidade sobre os três na franquia principal é terem uma música tema para eles nos games Ruby & Sapphire, apesar de não serem capturáveis nos games. Aparentemente, eles seriam inseridos no game no meio do desenvolvimento (talvez como algum evento), mas os planos foram mudados durante o processo.


Como já abordado brevemente na matéria sobre Ho-oh, os três cães lendários eram Pokémon comuns que morreram no incêndio da antiga torre de Lugia e foram revividos por Ho-oh, onde partiram a correr pelo continente desde então na alegria de terem voltado à vida. Apesar de alguns habitantes de Johto acreditarem que a razão do incêndio da torre foi causado por Lugia, que fugiu, ou por humanos, é fato que houve um desastre natural envolvido (o que aguça mais ainda a suspeita dos habitantes sobre Lugia, responsável pelas tempestades). A ordem em que esses Pokémon aparecem na pokedex é uma referência à esse desastre natural. Sendo Raikou (#243) o primeiro, em referência ao raio que partiu a torre. Entei (#244) o segundo, pelas chamas que se iniciaram. E por fim, Suicune (#245), pela chuva que apagou as chamas. Em memória às chamas responsáveis por suas mortes, caso vocês toquem o som de Entei em Pokémon Crystal version antes dos sons de Raikou e Suicune, é possível ouvir uma versão alternativa dos sons de Suicune e Raikou, como uma memória dolorida pelo incidente. As lendas rezam que o rugido de Entei pode fazer vulcões entrarem em erupção, que o rugido de Raikou soa como trovões e que Suicune possui a habilidade de purificar a água.


Não menos importantes



E então, acabou? Podemos dizer que sim. Abordamos todos aqueles que são, de fato, lendas responsáveis pela manutenção do planeta e do universo. Entretanto, antes que os amantes de Celebi, Latias, Latios e outros entrem em pânico, há um outro grupo de lendários, um grupo menor. Esse grupo foi criado por Mew e estão mais para "Pokémon muito raros" do que para lendários da mesma categoria dos que citamos. Certamente são um pouco mais especiais que outras criações de Mew como Dunsparce, Magikarp, Cartepie e Slowpoke. É nesse grupo de lendários que se encaixam os três espadachins, por exemplo. Brevemente vamos abordar alguns dos mais populares desse grupo.


Começando por Manaphy e Phione, que são conhecidos também, como guardiões dos mares. Manaphy é o único lendário que pode dar ovos (e o sprite de seus ovos são diferentes dos outros) e então nascer Phione. Phione, por sua vez, mesmo podendo cruzar, não pode trazer Manaphies, apenas Phiones. No guia oficial da The Pokémon Company International de "Pokémon HeartGold & SoulSilver versions" Phione não é categorizado como lendário. A lenda diz que Manaphy tem a habilidade de se comunicar com o coração dos Pokémon.


Victini é o potador da energia. Ele é capaz de simplesmente "produzir energia" e essa quantia ilimitada de energia pode ser perigosa mesmo para ele. Então, temos a temática "vitória" deste Pokémon que, em minha opinião, tanta vitória, vitória e vitória, o faz ser mais próximo de um "Chuck Norris do mundo Pokémon". E vocês podem concordar comigo depois da descrição dele na pokedex de Black version: "Este Pokémon traz a vitória. É dito que treinadores com Victini sempre ganham, independentemente do oponente." Seu V-create é o golpe com maior dano de base, 180 pontos, que pode chegar aos humildes 270 de dano de base por ser do mesmo tipo, sendo o maior dano base do jogo atualmente. É difícil não ser "a vitória" dessa maneira, não? Victini não é rodeado por nenhuma lenda além do fato de ser o portador da energia. Um fato curioso é que Victini é o Pokémon favorito de Junichi Masuda (antes de Victini existir, era o Pichu), mesmo tendo sido desenvolvido pela desinger Mana Ibe na ideia de trazer um Pokémon mais atrativo para meninas do que para os meninos. Será que Mana falhou ou as meninas realmente gostam de Victini? Bem, o senhor Masuda não se preocupa com isso.


Ainda no tipo fogo, diferente de muitos outros lendários (mesmo não tendo uma lenda, assim como Victini), Heatran, o senhor das montanhas, não está registrado na pokedex regional de Sinnoh. O que me parece fazer mais sentido para um lendário. Seu corpo é protegido por um metal áspero derretido em algumas partes devido a seu próprio calor. Seu sangue (se é que podemos chamar assim) ferve como magma e esse Pokémon costuma habitar em cavernas vulcânicas. Meus caros, aqui temos um verdadeiro "monstro", diferente de outros como Cinccino, por exemplo. Heatran tem o maior número de "resistências duplas" dentre todos os Pokémon, resistindo a ataques do tipo inseto, gelo, metal e planta, recebendo um dano mínimo, além de suas outras seis resistências (normal, voador, fantasma, psíquico, dragão e noturno) e imunidade ao tipo venenoso.


Nesse grupo também não podemos deixar de citar Shaymin, o curador, que tem habilidade de dissolver as toxinas no ar, uma habilidade semelhante à habilidade de Suicune. Meloetta, portadora da melodia, assim como os outros citados, também não possui nenhuma lenda a seu respeito. O mesmo se aplica ao casal Latios e Latias, e Celebi, que ainda assim merecem uma matéria futura (principalmente no caso de Celebi, que possui um contexto mais complexo e extenso).

avatar
Selene
Coordenador - Artista
Coordenador - Artista

Mensagens : 112
Data de inscrição : 31/12/2014

Ver perfil do usuário http://pokemonlf.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum